O inferno são os outros! Será mesmo? Descubra agora!
Dores físicas podem ser emoções mal revolvidas

Você está construindo a história que realmente quer?

A vida imita a arte! Este é um belo dizer que faz muito sentido para nossas vidas. Em filmes ou espetáculos teatrais, por exemplo, existem várias posições. Há diretores, roteiristas, atores principais, coadjuvantes. Mas o fato é: alguns conduzem, outros acatam as decisões.

Você está em qual posição na sua vida? Quando queremos fazer nossa própria história, precisamos assumir a direção, sair daquele mesmo roteiro, das repetições, hábitos estabelecidos, pois nada adianta esperar pelo final feliz se nosso roteiro está sendo o mesmo.

Entenda que podemos sim concluir situações inacabadas a qualquer momento, encerrando ciclos que nos consomem, ressignificando acontecimentos mal vivenciados, dando outro sentido a certos acontecimentos da sua vida.

Nossos comportamentos não surgem do nada, são construídos ao longo dos tempos. Por isto tratar o presente sem contemplar a história, ou mesmo ir seguindo a vida sem nos perceber protagonistas são armadilhas perigosas.
Poderá me dizer: “falar é fácil, quero ver praticar tudo isso”. Então lhe convido a conhecer uma história, onde esta pessoa transformou uma possível vida limitada nas grandes descobertas tanto para si, quanto para os outros!
Vamos falar mais sobre quem foi Viktor Frankl.

Nascido na Áustria, Frankl formou-se médico psiquiatra em 1930. Dois anos depois, foi deportado pelos nazistas para algum campo, onde ficou até sua libertação, treze anos depois (1945). Ele poderia facilmente ter se perdido nos horrores daquele holocausto, mas optou por descrever sua experiência íntima levando à criação da terceira escola de psicologia: a logoterapia – a cura através do sentido.

O próprio Viktor Frankl nos fala sobre não encontrarmos nos seus livros a descrição dos horrores vividos em campos nazistas, pois outros autores já o fizeram muito melhor. Ele descreveu o comportamento mental humano mediante um cenário totalmente restritivo, no qual seres humanos eram tratados inferiores aos animais, se vendo diversas vezes reduzido aos limites entre o ser e o não-ser.

Mas Frankl enfrentou com coragem, assumindo visão surpreendentemente positiva da capacidade humana em transcender situações difíceis, descobrindo verdades orientadoras, ou seja, um propósito de vida.

Duas citações dele expressam a grandiosidade nas suas obras:

“Pode-se tirar tudo de um homem exceto uma coisa: a última das liberdades humanas – escolher a própria atitude em qualquer circunstância, escolher o próprio caminho. ”

“Quando a circunstância é boa, devemos desfrutá-la; sendo desfavorável, devemos transformá-la e, quando não pode ser transformada, devemos transformar a nós mesmos. ”

Então, qual história quer contar? Se fosse colocar sua vida numa sinopse, qual seria?

Faça um teste prático! Imagine jornalistas o entrevistando para depois falar sobre você. Quais seriam os relatos? Qual seriam os depoimentos das pessoas sobre você?

Se você quer uma grande história para sua vida, assuma o seu poder de escolha!