Equipe improdutiva: saiba como lidar com isso!
Reuniões improdutivas? Saiba 4 passos para virar o jogo!

Pessoa certa no lugar certo? 4 passos para assertividade!

“Estou insatisfeito com minha equipe! Não tenho a pessoa certa no lugar certo!”. Esta frase soou comum pra você? Poi é, eu escuto ela algumas vezes durante os treinamentos e mentorias. Na maioria das vezes, ao aprofundar um pouco mais o cenário, acabo percebendo o líder vivenciando várias complicações decorrente desta situação.

Uma delas é o retrabalho gerado por recrutamentos e seleções estarem dando errado, sem falar nos custos dos processos de contratações. Tudo isto implicando na produtividade não sendo alcançada e as metas em risco.

Chiavenato, um dos consagrados autores brasileiros em recursos humanos, já falava na primeira edição do seu livro em 1999, que tudo começa tendo a pessoa certa no lugar certo. De lá pra cá muita coisa mudou, mas esta ainda é uma grande verdade!

Se não temos a pessoa certa no lugar certo, o jogo já começa errado. Fazendo analogia ao futebol, seria como contratar alguém com experiência no meio de campo e deixar ele como goleiro.

Para que tenhamos o encaixe perfeito, é preciso algumas ações! Trago pra você, de forma sucinta, 4 PASSOS para acertar nas suas contratações.

Importante: se a empresa tem uma área de recursos humanos estruturada você terá mais facilidades, mas mesmo assim é necessário que você saiba o que é importante no cargo e o papel a ser desempenhado. Aqui vamos tratar do tema pensando em pequenas empresas, nas quais, muitas vezes, existe apenas o departamento pessoal e os processos de recrutamento e seleção pode não estar bem desenhados.

PASSO 1: A analisar o perfil da vaga, respondendo as seguintes questões:
a) quais são as atribuições deste colaborador?
b) para realizar estas tarefas o que ele precisa conhecer o quê?
c) nesta posição ele precisa saber fazer o quê?
d) quais são as atitudes necessárias que ele precisará tomar?

Mesmo que sua empresa não tenha um perfil elaborado, cabe a você enquanto líder fazer um esboço das funções sob sua responsabilidade!

Por exemplo, se tenho uma vaga para vendedor preciso entender possíveis atribuições:
– Prospectar clientes diariamente;
– Analisar o perfil do cliente para oferecer sempre a melhor experiência de compra;
– Estudar diariamente os produtos da empresa, para estar atualizado para explicar os produtos e serviços;
– Cadastro e manutenção de clientes na carteira;
– Elaborar propostas, apresentar aos clientes e fechar negócios tendo em mente as metas de vendas definidas para sua área de ação.

De forma macro podemos definir como requisitos desejáveis quatro pontos:
a) formação;
b) experiência;
c) conhecimentos necessários;
d) competências comportamentais.

Olhando para as atribuições e relacionando com os quatro pontos poderíamos precisar nesta vaga:

– Nível superior;
– Ter atuado como vendedor anteriormente;
– Excel avançado, vendas de varejo, conhecer os produtos e serviços da empresa;
– Comunicação, trabalho em equipe e foco em resultado;

PASSO 2: Formas de recrutamento – interno ou externo – decidindo a forma de divulgação.

PASSO 3: Inicia a seleção. É preciso olhar para os candidatos e ver o qual os currículos que mais se aproximam do perfil desejado. A triagem de currículos pode ser feita pelo RH, mas também pode vir para o gestor fazer.

Cuidado! As vezes os currículos não estão contendo as informações necessárias. Não vou entrar em detalhes sobre os diversos instrumentos utilizados, que podem ir de avaliações de perfil, entrevista, dinâmicas de grupo, olhar redes sociais e pedir referências, entre outros.

Mas as provas de habilidades e conhecimento são superimportantes! Nesta etapa pode comprova as habilidades e conhecimentos técnicos. Para elaborar uma prova de conhecimento basta focar nas habilidades e conhecimentos que considera cruciais ao desempenho da função. Por exemplo: se a vaga é para contabilidade, inclua questões diretas de conhecimentos técnicos e cálculos utilizados no dia a dia. As questões podem ser de assinalar, múltipla escolha, classificação em verdadeiro e falso, questões abertas e outros formatos.

É prudente e aconselho dar destaque às entrevistas, pois neste momento o líder precisa participar e não delegar para outros. Pode ser que na sua empresa exista um RH que faça as entrevistas iniciais, mas acredite, a entrevista não pode ser delegada! Ela faz parte das atribuições do líder, se desejar ter a pessoa certa no lugar certo.

Como fazer uma boa entrevista será trabalhado com maior propriedade em outro artigo! Mas, dando uma deixo aqui uma dica: prepare-se! Sim, o líder precisa estar preparado para entrevistar. Não vá para a sala de entrevista sem ter olhado o currículo e feito algumas anotações. Uma boa entrevista está baseada em boas perguntas e uma percepção aguçada! Senão você corre o risco de ter somente as respostas que deseja ouvir.

Quanto mais opções tiver para olhar melhor! Ao ter resultados de prova, avaliações de perfil e impressões sobre as entrevistas, terá um quadro mais amplo. Uma ferramenta apoia a outra, como se fosse um quebra cabeças a ser montado.

PASSO 4: Agora é hora de fechar a vaga com o candidato selecionado. Esclareça todas as dúvidas, deixe um espaço para apresentar os benefícios e salário proposto. Acerte a data de início, fale dos desafios e resultados a serem entregues.

Não feche a vaga com pressa! A falta de atenção a alguns detalhes pode comprometer a permanência do colaborador, pois precisa ser um relacionamento de ganha-ganha. Se o colaborador entrar com muitas dúvidas pode comprometer a assertividade do processo.

Todos estes passos são muito importantes!

Cada passo é importante para que sua contratação seja coroada de sucesso! Mas os quatro passos são apenas o início para ter a pessoa certa no lugar certo; Depois entra a sequência de boas práticas: a integração é a que vem a seguir, que vamos apresentar no próximo artigo!

Ter a pessoa certa no lugar certo exige uma dose de dedicação, persistência e a utilização de ferramentas de apoio durante o processo!

Um abraço!